ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

SIMULADO DE CHUVA MOSTRA À POPULAÇÃO COMO FUNCIONA PLUVIÔMETRO SEMIAUTOMÁTICO

Quem passou nesta quarta-feira (26/11) pela Praça Dom Pedro, no Centro, pôde acompanhar uma simulação de chuva realizada pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil. O objetivo foi mostrar à população como funciona um pluviômetro semiautomático - hoje são 12 os equipamentos instalados em áreas de risco em Petrópolis. O simulado fez parte da Semana Municipal de Redução de Desastres Naturais, com ações de prevenção em vários pontos da cidade entre os dias 22 a 29 de novembro. A programação completa está no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). O pluviômetro foi colocado no jardim, ao lado da estátua de Dom Pedro II, e o visor digital ficou na calçada, indicando para quem passava quanto estava chovendo. Um esguicho na praça simulava a chuva. A proposta do evento é fazer com que as pessoas se familiarizem com a medição de chuvas, para que, em casa, possam fazer o mesmo com pluviômetros caseiros, feitos com garrafas PET. Na praça, também foram distribuídos à população adesivos para a confecção dos pluviômetros caseiros. “O simulado foi mais uma oportunidade de aproveitamos para falar sobre prevenção de desastres das chuvas e fazer com que as pessoas pensem sobre essa cultura da Defesa Civil. Quem passou pela praça e parou para olhar o simulado entendeu melhor o que significa chover tantos milímetros em tanto tempo. Assim, quando a pessoa fizer o seu pluviômetro caseiro, vai saber melhor o que significa 10 milímetros de chuva em um hora, 20 milímetros em uma hora. A ideia é a pessoa conhecer cada vez mais os riscos que as chuvas fortes representam para Petrópolis”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão. Quem passou por ali aprovou o simulado. Foi o caso do aposentado Claudio Braga Ferreira, morador da Fazenda Inglesa. “É muito interessante dar o conhecimento para as pessoas, assim fica mais fácil entender essa parte técnica. A Defesa Civil mostrou que está realmente monitorando as comunidades em relação às chuvas”, disse Claudio. Desde janeiro de 2013, a Prefeitura instalou 12 pluviômetros semiautomáticos em comunidades em áreas de risco. Em caso de chuvas fortes, os moradores das casas onde foram instalados os equipamentos comunicam à Defesa Civil os valumes registrados. Os equipamentos são uma parceria entre a Prefeitura e o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta notícia