| CIDADE

FIQUE EM DIA: CONTRIBUINTES TÊM ATÉ O DIA 31 PARA REGULARIZAR DÉBITOS COM A PMP

Negociações podem ser feitas de segunda a sábado, das 9h às 16 | Divulgação Com estrutura especial de atendimento montada no clube Petr...

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

BOMTEMPO REPASSA R$ 440 MIL PARA PAGAMENTO DOS SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS DAS UPAS

Em reunião realizada nesta quarta-feira (18/11) com a comissão mista de funcionários das Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) Centro e Cascatinha, o prefeito Rubens Bomtempo anunciou o repasse de R$ 440 mil para o pagamento de 50% dos salários dos profissionais das duas unidades. A medida tem como finalidade amenizar a situação dos funcionários, uma vez que o governo do Estado não vem cumprindo sua responsabilidade no financiamento das UPAS. Neste ano, a Prefeitura recebeu apenas três dos dez repasses previstos para os meses de janeiro a setembro. A dívida acumulada em 2015 já chega a R$ 5,6 milhões.


“Estamos cumprindo com a nossa parte e repassando o que cabe ao município. Cabe, agora, o governo do Estado assumir o que é de sua responsabilidade, pagar o que nos deve para que possamos, assim, ficar em dia com os salários dos funcionários. A Prefeitura está há seis meses arcando sozinha com o custeio integral das UPAS do Centro e Cascatinha. Não temos mais condições de pagar esta conta sozinhos”, desabafou o prefeito Rubens Bomtempo. 

O secretário de Saúde André Pombo também participou do encontro e ressaltou que as UPAS continuam abertas para o atendimento à população, priorizando os casos de urgência e emergência. “É importante ressaltar a postura dos profissionais que atuam nas unidades. Mesmo com todas as dificuldades, eles continuam trabalhando e atendendo a população. As UPAS não estão fechadas e ninguém está de braços cruzados. Este é um momento de união, onde o governo, os profissionais, o Conselho de Saúde e o sindicato de classe estão juntos para cobrar do governo do Estado mais responsabilidade e clareza”, frisou o secretário. “Não estamos fechados e não vamos parar de atender a população, neste momento, estamos apenas focando nos casos mais graves”, enfatizou o coordenador médico da UPA Centro, Gabriel Vieira Machado. 

Durante o encontro, a comissão mista de funcionários das UPAS, o Conselho Municipal de Saúde (Comsaúde) e o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Petrópolis aprovaram uma nota pública de esclarecimento à população. No texto eles repudiam a postura do governo estadual e demonstram a indignação com a falta de responsabilidade por parte do Estado. “O que nós percebemos é um desmonte da política de urgência e emergência pelo governo do Estado, empurrando para os municípios esse financiamento. É um falta de respeito e vamos juntos cobrar do Estado uma postura diferente da qual vêm tomando”, disse o presidente do Comsaúde, Marcus Curvello.

Conforme previsto nas portarias ministeriais que criaram as UPAs, o custeio das unidades é tripartite – dividido entre União, Estado e Municípios. Por mês o governo do Estado deveria repassar R$ 400 mil para cada UPA (Centro e Cascatinha).

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI