PESQUISA POR MATÉRIAS

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

domingo, 21 de fevereiro de 2016

SAMU RECEBEU ESTE ANO MAIS DE 900 TROTES


Dados da Secretaria De Saúde mostraram, nesta semana, dados preocupantes: entre os dias 1º de janeiro e 17 de fevereiro deste ano, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) recebeu 952 trotes. Só no último domingo (14/2), foram 62 trotes feitos ao número 192. Um levantamento divulgado no início do ano pela Secretaria de Saúde revelou que esse tipo de ligação representa 15% das chamadas feitas para o 192. Em 21 meses de funcionamento, o Samu recebeu 7.621 trotes.
“Essa brincadeira de mau gosto coloca em risco muitas vidas que precisam de atendimento, causando prejuízos à população e prejudicando o sério serviço realizado pelo Samu. Por causa dos trotes, as linhas ficam sobrecarregadas e pessoas que necessitam de atendimento podem não conseguir contatar o 192. Além disso, por causa das falsas solicitações, ambulâncias são deslocadas desnecessariamente, onerando os co
fres públicos e, eventualmente, deixando de atender quem realmente precisa”, disse o secretário de Saúde, Marcus Curvelo.

“Tivemos um caso de um mesmo número ligar sete vezes em apenas 20 minutos. Além das crianças, adultos também ligam passando trotes e em muitas situações ligam só para insultar os nossos atendentes”, lamentou a coordenadora do Samu, Patrícia Levefre, explicando que, quando é identificada que a chamada é de uma criança e foi feita de um celular, por exemplo, os atendentes retornam a ligação e alertam o adulto dono do celular. “E quando identificamos as ligações vindas dos orelhões ligamos de volta, falando o nome da rua e o município para mostrar que as ligações são gravadas e podemos rastrear”, disse a coordenadora.
As chamadas para o 192 são atendidas pelos TARMs (Técnicos Auxiliares de Regulamentação Médica), que, em alguns casos, conseguem identificar os trotes. Quando a informação falsa não é percebida, os TARMs transferem a ligação para o Médico Regulador, que dá continuidade ao atendimento. Há casos em que o médico consegue identificar o trote, no entanto, quando isso não ocorre, a ambulância é acionada e o trote só é descoberto quando a equipe de socorristas chega ao local.
Além de Petrópolis, a Central de Regulação do Samu-Serrana atende também os municípios de São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Carmo, Guapimirim, Cantagalo e Cachoeiras de Macacu. O serviço começou em abril de 2014.