ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

terça-feira, 18 de outubro de 2016

BERNARDO APRESENTA SOLUÇÕES PARA TRÂNSITO, ESCOLAS E CRECHES NO BINGEN E MOSELA


A reorganização do trânsito é urgente em bairros como o Bingen, que concentra indústrias, comércio e é umas das principais entradas da cidade. Nesta segunda-feira (17.10), o candidato pela Coligação Petrópolis no Coração, Bernardo Rossi conversou com moradores, comerciantes e empresários do Bingen e reafirmou o compromisso de investir em mobilidade. Falta de vagas em creches e a qualidade na merenda servida nas escolas do bairro também foram reivindicações da população e temas dos moradores do Castrioto, João Xavier, Vila São Francisco, Alto da Derrubada e Duarte da Silveira, onde Bernardo Rossi também esteve nesta segunda-feira.

“As intervenções aqui já estão atrasadas. Vamos reorganizar o trânsito, com base em estudos técnicos e planejamento para melhorar a mobilidade.  O Bingen é umas das principais entradas da cidade, concentra os polos industrial, moveleiro e de moda. Vamos investir em mobilidade para que as pessoas não percam tanto tempo nos engarrafamentos e melhorar também o transporte coletivo, cobrando às empresas o cumprimento de horários dos ônibus”, afirma Bernardo Rossi, candidato pela coligação formada por PMDB, PP, PSC, PSDC, DEM, PSL, PTC, PRTB, PV, PDT, PEN, PROS, PSDB, PMB, PRP, PTB e PHS.

“Confio no Bernardo para melhorar o transporte e o trânsito na nossa cidade. Hoje quem depende de ônibus, como eu, tem muitas dificuldades para cumprir os compromissos. Dependo do ônibus para trabalhar, para ir ao médico e é muito difícil. Frequentemente os ônibus quebram e atrasam, outro problema são  os engarrafamentos. Estou confiante de que  o Bernardo vai olhar pela população e cuidar disso”, diz a doméstica Mônica Moreira Lopes, de 55 anos.
Bernardo lembra que a reestruturação do trânsito é ainda mais urgente no Bingen, frente à perspectiva de aumento do fluxo de trânsito após a conclusão das obras da nova subida da Serra.

“Hoje, o Bingen já tem pontos críticos, como o trecho em frente ao Hospital Santa Teresa e a localidade conhecida como “17”, onde existe uma concentração de comércio. Imaginem o que vai acontecer quando todos os veículos que chegarem a Petrópolis passarem pelo bairro? Se não houver planejamento será inviável quando a nova subida da serra estiver pronta. Para evitar isso, vamos investir em mobilidade urbana, reorganizar o trânsito e preparar o bairro para as mudanças que estão por vir. Para que elas não prejudiquem os moradores”, pontua Bernardo.

Para isso Bernardo vai recuperar recursos junto ao Governo Federal. “No ano passado Petrópolis perdeu R$ 50 milhões para investimentos em Mobilidade Urbana porque não apresentou os projetos necessários. Vamos corrigir isso, recuperar esses recursos e fazer as intervenções necessárias para melhorar o trânsito. Investir em mobilidade é dar mais qualidade de vida à população. Hoje as pessoas perdem muito tempo no trânsito, um tempo que poderá ser dedicado à família, aos filhos, aos estudos ou ao lazer. Vamos trabalhar para isso”, afirma Bernardo.

Na conversa com moradores do Castrioto, João Xavier, Vila São Francisco, Alto da Derrubada e Duarte da Silveira, onde também esteve nesta segunda, Bernardo assumiu ainda o compromisso de melhorar a infraestrutura das comunidades e a qualidade da merenda.

Edilane Pires, de 23 anos, tem uma filha de 3 meses e espera por uma vaga no berçário do Centro de Educação Infantil (CEI) na Vila São Francisco. “Com minha filha no berçário da creche, poderei conseguir um trabalho”, anseia. Também moradora da Vila São Francisco, Raquel Ferreira Simeão, de 20 anos, disse a Bernardo que precisou esperar na fila por uma vaga para a filha de três anos. “Foram dois anos esperando para conseguir a vaga para minha filha. Hoje ela está na creche e minha preocupação é a merenda, que está por conta da diretora. Ela só consegue manter a alimentação mobilizando a comunidade. É bom saber que o Bernardo vai dar atenção às nossas crianças”, disse.
A merenda também preocupa a manicure Maria do Carmo Pires, de 36 anos, que tem um filho de 5 anos. “Hoje a diretora da escola é quem tem que custear a compra de temperos, gás e alguns insumos. Me tranquiliza saber que com o Bernardo isso vai ser diferente”, disse a manicure.


“Hoje o município tem duas mil crianças esperando por vaga em creche. Vamos acabar com essa fila e cuidar também da merenda, pois existem recursos para isso. É tudo uma questão de gestão. No meu governo não vai faltar vaga em creche e a merenda vai ter qualidade”, afirma Bernardo Rossi.