ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS NÃO TEVE BAIXA EM PETRÓPOLIS


Eric Andriolo - Diário de Petrópolis - 

Mesmo com a redução de 3,2% no preço da gasolina nas refinarias, o preço do combustível segue alto nos postos em todo o país. Em Petrópolis, os preços continuam similares aos que eram praticados antes do desconto, com a gasolina variando entre R$ 4,09 e R$ 3,79 o litro.A Petrobrás havia anunciado uma redução de cinco centavos no preço da gasolina e do óleo diesel. Mas a redução, que começou a valer no sábado (15), só afeta o preço nas refinarias. Quem se beneficia com a redução são as distribuidoras, que compram da Petrobrás e vendem aos postos.
Seria preciso que as distribuidoras e os postos de combustíveis repassassem o novo preço para que o consumidor sentisse a diferença. Os reajustes são o reflexo de uma nova política de preços aprovada pela empresa na quinta-feira (13), que quer diminuir o protecionismo aos combustíveis. O que a Petrobrás quer é rever os preços ao menos uma vez por mês para seguir o preço do mercado internacional.

A redução dos preços deveria ajudar a controlar a inflação. Nos últimos 12 meses, a gasolina subiu mais que a inflação oficial, encarecendo 9,77%, enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 8,48%.

Mas na prática isso não aconteceu, ao menos por enquanto. Para o consumidor, os preços continuaram iguais nas capitais. Nenhum posto de gasolina pesquisado pelo Diário reduziu os preços, e um deles ainda informou que a distribuidora nem chegou a repassar o reajuste ao posto.
Há motoristas que já perderam as esperanças sobre o preço dos combustíveis. O Diário falou com taxistas da cidade sobre o impacto da alta dos combustíveis, e encontrou uma categoria indignada com a situação.

- Isso nem anima mais a gente – disse Giovani Gouvêa, quando perguntado sobre o que pensava da redução prometida pelo governo. Ele também disse que gostaria que os taxistas tivessem algum desconto na compra de combustíveis.

- A gente presta um serviço. Acho que para utilidade pública deveria ser mais barato – afirmou.
O jeito de ganhar a vida é abandonar a gasolina. Os taxistas, em geral, preferem o gás natural veicular (GNV) e o etanol.

O que segura é o gás. Quem não tem gás está enforcado – disse o taxista Carlos Carvalho, que não se conforma com o preço dos combustíveis:
- O preço está um absurdo, não tem o que falar, uma pouca vergonha – reclamou.
Além do gás, o Etanol continua um pouco mais econômico que a gasolina. O Rio de Janeiro é um dos poucos estados onde o Álcool não ficou mais caro em outubro. Ao invés disso, os postos registraram queda de 2,53%. Até o dia 15 deste mês, os preços do etanol subiram em 18 estados.