ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

BERNARDO ROSSI QUER RAPIDEZ NAS OBRAS DO PAC DAS ENCOSTAS


Acelerar as obras do PAC das Encostas, que envolvem investimentos de R$ 60 milhões do governo federal em Petrópolis fazendo um acompanhamento próximo junto ao Ministério das Cidades e Caixa Econômica, foram objetivos elencados entre o prefeito Bernardo Rossi e o representantes dos órgãos federais na manhã desta quinta-feira (26.01).  Com três lotes, são 14 intervenções no município, iniciados em 2014, porém todos ainda sem conclusão. Algumas das intervenções não chegaram a ser iniciadas.

“Todas as empresas já contratadas terão prazo até abril para apresentar projetos que ainda não foram iniciados. As já em curso, vamos tratar junto à CEF da liberação dos recursos atendendo à exigência do banco em verificação da aplicação efetiva das verbas e ao Ministério das Cidades, estreitar relacionamento e apresentar novos projetos para Petrópolis”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.
O prefeito destacou ainda que terá de repor R$ 9,2 milhões que foram retirados das contas destas obras em arresto judicial usado para pagar os salários de dezembro do funcionalismo público, na gestão passada. A previsão é que o dinheiro arrestado seja reposto pela nova gestão até março. A medida é fundamental para que os recursos continuem chegando a Petrópolis.

Diretor de Gestão de Riscos e Reabilitação Urbana do Ministério das Cidades, Yuri Rafael destacou que ano passado o governo federal atrasou em seis meses o repasse de recursos. “Com a regularização, queremos voltar a compactuar a execução do programa em Petrópolis e ter um relacionamento próximo com o governo”, frisou.

Até o momento, a obra no Carangola, com 88% de conclusão é a que mais avançou. Ainda do primeiro lote, que tem investimento de R$ 19,3 milhões, as intervenções são na Casemiro de Abreu (79,5% de conclusão); Antônio Soares Pinto (76,63%); Alexandre Fleming (74,64%) e Henrique Paixão (6,08%).

Do lote 2, a obra mais avançada, com 76,5% de conclusão é da Rua Danilo Paladini. Pertencem ainda ao lote as intervenções na Brigadeiro Castrioto (13,10%), Neylor (7,01%) e Atílio Marotti (2,55%). Este lote perfaz R$ 18,6 milhões.

A Rua Uruguai, onde houve desplacamento de rochas e 25 casas foram interditadas, será incluída no lote 3, porém estas obras serão prioritárias. Elas ocorrerão como complemento das intervenções na Avenida Amaral Peixoto e perfazem R$ 12 milhões dos R$ 18,9 milhões destinados ao montante de obras. Deste lote ainda não foram iniciadas ainda obras na Eugenio Werneck e Comunidade do Veludo. Na comunidade dos Ferroviários as obras já estão com 52% de conclusão e no Alto Battailard com 0,4%, apenas com projeto apresentado.