| CIDADE

FIQUE EM DIA: CONTRIBUINTES TÊM ATÉ O DIA 31 PARA REGULARIZAR DÉBITOS COM A PMP

Negociações podem ser feitas de segunda a sábado, das 9h às 16 | Divulgação Com estrutura especial de atendimento montada no clube Petr...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

BERNARDO ROSSI SE REÚNE COM MINISTRO DOS TRANSPORTES PARA FALAR SOBRE BR 040


O prefeito Bernardo Rossi vai se reunir com o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, nesta sexta-feira (10.02). Em pauta as obras da nova pista de subida da serra que já alcançam R$ 1,2 bilhão – mais de R$ 54 milhões por quilômetro. A reunião, na Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), terá ainda a presença do presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, e do presidente da entidade anfitriã, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira.


O encontro com o ministro foi agendado na semana passada em Brasília, em reunião do prefeito com o presidente da agência que regula a concessão da Rio-Petrópolis-Juiz de Fora.  Na reunião desta sexta, Bernardo Rossi vai reiterar o pedido de prioridade para a conclusão dos 22 quilômetros da nova pista de subida da serra.

“São inúmeros os pontos em aberto, desde a questão dos prazos, passando pelo impacto urbano, os custos e a segurança. A obra é fundamental para a nossa cidade, para a economia e com reflexos por todos os municípios pelos quais o trecho de 180 quilômetros da Rio-Petrópolis-Juiz de Fora corta e ainda para o estado de Minas”, afirma Bernardo Rossi.

Estudo da Firjan projeta que até 2031 os prejuízos em acidentes na BR-040 no trecho apenas da serra vão alcançar R$ 1,5 bilhão. O levantamento mostra que haverá perda anual de R$ 531 milhões com engarrafamentos, veículos quebrados, interrupções na estrada, mortes e feridos. A estimativa é de que no período, 3.500 novos acidentes sejam registrados.

“Em Brasília, o presidente da ANTT se colocou como defensor de que o governo federal assuma os custos da obra para que a intervenção, hoje com menos de 30% prontos, seja concluída. É o que queremos, aliado a não prorrogação de contrato com a empresa e ainda sob nenhuma hipótese reajuste de pedágio, tarifa que já penaliza o usuário como uma das mais caras do país sem a contrapartida de uma estrada decente”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

A BR-40 é a principal via de acesso aos mais de 1,5 milhão de turistas que chegam à cidade anualmente, é essencial para escoamento e emissão de matéria prima para as 277 indústrias da cidade, assim como influencia diretamente aos mais de cinco mil pontos comerciais e de serviços existentes no município e aos mais de 10 mil petropolitanos que se deslocam para o estudo ou trabalho todos os dias no Rio e Região Metropolitana.

O trecho de 180 quilômetros administrado pela Concer é o principal corredor de tráfego entre os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, com uma média diária de fluxo de 65 mil veículos, sendo uma das principais ligações do Sudeste brasileiro.

Já ficou definido junto à ANTT que uma equipe do governo municipal fará o acompanhamento da obra de construção da nova pista de subida da serra. “A obra impacta diretamente o Bingen, bairro por onde todo o fluxo vindo da estrada vai desembocar. A Concer sequer fez um estudo das conseqüências do novo traçado no perímetro urbano e esse é um dos pontos que a prefeitura tem obrigação - e nunca cumpriu – de acompanhar. E vamos agora acompanhar. A nova estrada é fundamental e tem que estar pronta, segura e condizente com que a cidade precisa”, completa Bernardo Rossi.

As obras da nova pista de subida estavam previstas desde o início da concessão da Concer, em 1995. A construção da nova pista começaria em 2010, com prazo de entrega em 2014. Porém, a obra foi iniciada em 2013 e deveria ter sido concluída em junho de 2016, mas acabou paralisada por falta de recursos e questionamentos de custos em meados do ano passado.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI