ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

COM AMEAÇA DE GREVE DA PM, PEZÃO COGITA RECORRER A FORÇAS ARMADAS


Do Notícias ao Minuto - 
 
O governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão pediu em entrevista à uma Rádio Gaúcha, na manhã desta quinta-feira (9), que a Força Nacional de Segurança e o Exército fiquem de prontidão caso o governo precise reforçar a segurança no estado.
A declaração foi feita por conta dos boatos de greve dos policiais militares do Rio que têm surgido nos últimos dias. Contudo, o governador está confiante e acredita que não será necessária a intervenção, assim como está sendo realizada no Espírito Santo.

Não está na Constituição e não é permitido. É um erro. Ontem eu recebi todo o comando da Polícia Militar e já coloquei para o ministro Raul Jungmann e o ex-ministro da justiça, Alexandre, que ainda estava no cargo, que coloque a Força Nacional de Segurança e o Exército de prontidão."

Quando questionado sobre a crise financeira que assola o estado, Pezão disse que os servidores deveriam se aposentar mais tarde. Segundo o governador, 66% dos servidores do Rio se aposentam com menos de 60 anos e muito se aposentam na casa dos 40 anos.

Eu sei que professores e policiais têm um trabalho difícil, mas eu acho que eles têm que permanecer uns 5 ou 7 anos a mais contribuindo. A gente tem mais inativo do que ativo. O nosso déficit da previdência pública é de R$ 12 bilhões."

Em relação ao processo de usar ações da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) como garantia de empréstimos que devem ser utilizados para pagar o salário dos servidores, o governador disse que o tema está em andamento na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).