ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

DEFESA CIVIL APRESENTA BALANÇO DAS AÇÕES DO MÊS DE JANEIRO


O mês de janeiro registrou 175 ocorrências realizadas pelas equipes da Defesa Civil, a grande parte pedindo vistoria preventiva em residências. Entre os dias 9 e 12, quando o maior índice pluviométrico deste mês foi registrado (400 milímetros em toda a cidade) foram registrados alagamentos no Centro, Mosela, Valparaíso, Itaipava e Bingen. No dia 13, três casas foram interditadas no bairro da Glória, em Corrêas. Esses foram alguns números apresentados pela Secretaria de Defesa Civil referente ao mês de janeiro, quando Petrópolis sofreu com as pancadas de chuva que caíram, especialmente, nos finais de tarde.


"Janeiro é historicamente o mês mais chuvoso. Especialmente os primeiros dias deste ano foram complicados, com ocorrências de alagamentos e quedas de árvores. Existe a previsão de mais pancadas de chuvas durante fevereiro e março, mas conseguimos enfrentar o mês mais problemático da melhor maneira possível", disse o secretário Paulo Renato Vaz.

Segundo dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEM), a Rua 24 de Maio registrou a maior quantidade de chuva em janeiro: 327 milímetros. No Quitandinha, foram 247 milímetros durante o mês.

"Até o dia 15 de janeiro, em comparação com o ano passado, os registros pluviométricos estavam 40% mais altos. Já esperávamos um verão mais chuvoso, especialmente pelo fenômeno 'La Ninã'. Continuamos em alerta até o início de abril", explicou o secretário.

Durante o mês aconteceu também o primeiro simulado de abertura dos pontos de apoio em casos de chuvas. Organizado pela nova administração, o teste foi desenvolvido para corrigir os problemas do sistema. Na segunda-feira (30.01), os agentes da Defesa Civil participaram de uma capacitação para atuarem no combate ao mosquito Aedes Aegypti.

"Foi um mês de enfrentamento, mas também pudemos apresentar a população o simulado dos pontos de apoio e estamos apoiando a secretaria de saúde na campanha contra o mosquito vetor de doenças como dengue, zikae  chikungunya. Foi um mês bastante movimentado e de muito trabalho da Defesa Civil, mas o saldo é bastante positivo", afirmou o Coronel Paulo Renato Vaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta notícia