quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

FILMES COM TEMÁTICA DE CARNAVAL COM ENTRADA FRANCA NO CINE HUMBERTO MAURO

 
Para entrar no clima da folia, o Cine Humberto Mauro, no Centro de Cultura Raul de Leoni, abre sua temporada de exibições com a temática carnavalesca. Duas produções brasileiras e duas americanas que retratam, a sua maneira, o “espírito tupiniquim”. As sessões acontecem nesta quinta-feira (23), com exibição dos filmes “Alô, alô Carnaval”, às 14h; e “Alô amigos”, às 16h. Já na sexta-feira (24) tem “Carnaval Atlântida”, às 14h; e às 16h o filme “Você já foi a Bahia?”. A classificação é livre e a entrada gratuita.


O filme “Alô, alô Carnaval” narra as atribulações de dois produtores para levar à cena a revista musical “Banana da Terra”. De alguma forma, é a mais bem estabelecida antecipação do que viria a ser o cinema brasileiro nas próximas décadas: um protótipo da chanchada, e na inexistência da televisão, o cinema seria o rádio (com um som muito superior) com cenas das estrelas da canção popular como Mario Reis, as irmãs Pagãs, Aurora e Carmen Miranda, Francisco Alves, Almirante, Lamartine Babo, entre outros, em números nem sempre bem costurados ao enredo. Uma produção de Adhemar Gonzaga, de 1936, que traduzia no Brasil as tendências em voga na recente Hollywood, tem no roteiro Ruy Costa, Alberto Ribeiro, João de Barro e o próprio diretor.

No elenco, além das estrelas dos musicais, nomes então em ascensão como Oscarito, e consagrados como Jaime Costa, Jorge Murad, Barbosa Júnior, Pinto Filho, Lelita Rosa e Heloísa Helena. Carmen Miranda, em sua última aparição em longas no Brasil e o único registro em cópia restaurada, participa, com sua irmã Aurora, de uma das cenas mais antológicas do cinema brasileiro, cantando “As cantoras do rádio”, de Lamartine Babo.

Dirigido por Bill Roberts, Hamilton Luske, Jack Kinney e Wilfred Jackson, “Alô amigos”, de 1942, reúne a divertida turma da Disney na América do Sul em meio a paisagens super coloridas. Esse é o sexto longa-metragem Disney que recebeu indicação ao Oscar de melhor música, em 1943. O filme apresenta personagens divertidos como Zé Carioca, Pedro, um avião mirim do correio, e os famosos Pato Donald e Pateta, em aventuras espetaculares.

Pato Donald é um turista americano que embarca em uma incrível viagem pelos Andes! Pedro é um aviãozinho que voa pelo Chile e enfrenta uma terrível tempestade, passando por maus bocados para atravessar o Monte Aconcágua. Em Buenos Aires, Pateta aprende a usar o equipamento de montaria e danças típicas argentinas. Recheado com coloridas cenas de Carnaval do Rio de Janeiro e músicas como “Aquarela do Brasil”, Pato Donald conhece os pontos turísticos mais belos do Rio de Janeiro e de quebra ainda aprende a sambar.

Na sexta-feira (24) a primeira exibição é o clássico “Carnaval Atlântida”, de 1952, de José Carlos Burle. O filme conta a história de Xenofontes, interpretado por Oscarito, um sisudo professor de mitologia grega que é contratado pelo produtor Cecílio B. de Milho (uma paródia a Cecil B. De Mille, todo-poderoso da Metro americana, vivido por Renato Restier) para ser consultor da adaptação do clássico “Helena de Tróia” para o cinema.  Ao mesmo tempo, dois empregados do estúdio (Grande Otelo e também Oscarito) que trabalham como faxineiros, sonham em transformar o épico grego numa comédia carnavalesca.

Jogando o tempo todo com a mescla entre elementos populares e clássicos, o filme se encaminha para um desfecho insólito: o professor rígido perde a compostura, o produtor abandona o projeto original, Tróia é submetida aos caprichos de Momo, e cai na folia. Os números musicais, com os lançamentos de Carnaval e sucessos da época do rádio, chegam a quase trinta, entremeados de um elenco estelar: Oscarito, Grande Otelo, José Lewgoy, Eliana Macedo, Renato Restier, Cyll Farney, CuquitaCarballo, Colé, Maria Antonieta Pons, Iracema Vitória, Wilson Grey, Dick Farney, Nora Ney, Francisco Carlos e Blecaute, entre outros.

            Para encerrar a programação será exibido “Você já foi à Bahia?”, uma produção de 1945 do diretor ClydeGeronimi. Produzido no auge da política da “Boa Vizinhança” do pós-guerra pelos estúdios Disney, em ascensão, traz, através de três episódios de desenhos animados, uma ingênua e turística panorâmica sobre a América Latina, voltada para o público infanto-juvenil.

O Pato Donald recebe uma grande caixa no dia de seu aniversário, trazendo três presentes. O primeiro traz um projetor de cinema, contendo um filme sobre aves da América do Sul. O segundo contém um livro sobre o Brasil, que o leva à Bahia ao lado de Zé Carioca, que havia aparecido no anterior “Alô, amigos!” (“Saludos, Amigos”, 1942). O terceiro mostra uma piñata (ou quebra-pote, no Brasil) acompanhada de Panchito. Com os amigos, Donald vive aventuras no Brasil e no México. No elenco estão Aurora Miranda (que contracena em take antológico com Zé Carioca), Aloysio de Oliveira e Pinto Colvig, além de Donald e Panchito.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

PESQUISA POR MATÉRIAS