PESQUISA POR MATÉRIAS

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

MEIO AMBIENTE VAI FISCALIZAR DESCARTE EM TRÊS ÁREAS DE ITAIPAVA

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente vai acompanhar de perto e fiscalizar o descarte em três áreas de Itaipava liberadas para receberem material retirado de barreiras ao longo da Estrada Itaipava-Teresópolis. As intervenções, necessárias para obras emergenciais de contenção de encostas em 13 pontos da BR-495, são de responsabilidade do Departamento de Infraestrutura de Transportes (Dnit). As obras são orçadas em R$ 25 milhões. O material, retirado de barreiras que caíram ao logo da Estrada, será depositado em três terrenos em Itaipava. As licenças determinam que deve ser respeitada uma distância de 37 metros de afastamento das margens do rio.
“Assim como acontece com outros licenciamentos concedidos, a Secretaria de Meio Ambiente vai acompanhar e fiscalizar este serviço, para garantir que as condicionantes de validade dos licenciamentos sejam devidamente respeitadas, em especial no que se refere ao afastamento do material descartado do curso hídrico, que não pode ser inferior aos 37 metros estabelecidos”, afirma o coordenador e futuro secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio.

A autorização ambiental para as obras e deslocamento de terras para as três áreas foi concedida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente na quarta-feira (08.02). “Antes do alvará ser expedido, toda documentação do processo foi rigorosamente analisada, com imagens via satélite das áreas que serão ocupadas, com metragem quadrada, distanciamento do rio, quantidade de metros cúbicos que poderá ser depositada em cada local, autorização do local, dos proprietários dos terrenos, todos os dados foram analisados e vamos fiscalizar”, afirma, acrescentando que o Instituto Estadual do Ambiente também está acompanhando os trabalhos. “O Inea também esteve lá e orientou sobre a necessidade desta autorização do município”, pontua.

Autorização permite a remoção de terra de barreiras e a contenção de encostas em áreas comprometidas em decorrência das chuvas. “A autorização é para que retirem a terra que já caiu em alguns pontos e comprometeu a estrada, a pista ou as calçadas, e executem a contenção em 13 pontos críticos”, explica, o futuro secretário lembrando que, de acordo com o projeto apresentado,nenhum concreto será empregado, nas obras de contenção.