ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

terça-feira, 28 de março de 2017

DEFENSORIA, PMP E CAIXA SE REÚNEM PARA DISCUTIR CONSTRUÇÕES DE MORADIAS POPULARES

Medidas adotadas pela prefeitura para acelerar o andamento da construção de moradias populares no Vicenzo Rivetti, Caititu, e em três outros terrenos cedidos pelo Estado ao município no início deste mês, foram apresentadas por representantes do governo Bernardo Rossi em reunião com líderes de movimentos sociais pró-moradia, representantes da Caixa Econômica Federal, da Defensoria Pública e do Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH), nesta segunda-feira (27). A reunião, convocada pela Defensoria Pública, aconteceu na Casa dos Conselhos Ângelo Augusto Zanatta. Atualmente 1.159 famílias são assistidas pelo aluguel social em Petrópolis, sendo 390 famílias pelo município e outras 769 pelo estado.

“A moradia é uma prioridade para o prefeito Bernardo Rossi. Estamos acompanhando de perto a construção das unidades do Vicenzo Rivetti e tomando todas as providências para acelerar as construções nos terrenos disponíveis. Tudo está sendo acompanhado com muita responsabilidade, pois é um compromisso do prefeito Bernardo Rossi”, considera o secretário Chefe de Gabinete Renan Campos, que esteve na reunião ao lado da titular da Secretaria de Assistência Social, Denise Quintella e do secretário de Obras, Ronaldo Medeiros.

“Estamos fiscalizando a construção das unidades no Vicenzo Rivetti e os trabalhos estão bem adiantados. O projeto do Caetitu será adequado com a retomada do Minha Casa Minha Vida e todos os trâmites também estão sendo agilizados junto ao Estado para a liberação dos três terrenos destinados à construção de casas populares”, explica Ronaldo Medeiros.  Juntas as três novas áreas que perfazem 123 mil metros quadrados – Vale do Cuiabá, Benfica e Mosela – e têm capacidade para receber 320 unidades.

“As contratações de obras pelo Minha Casa Minha Vida faixa um, que estavam suspensas, poderão ser retomadas com a liberação, que foi retomada pelo Governo Federal semana passada”, adianta o gerente geral da Caixa, Guilherme Pedro Mattoso Hammes.


Grupo de trabalho vai acompanhar trabalho de construção de casas
Um grupo de trabalho vai ser criado para acompanhar, por exemplo, os critérios para a definição das famílias que receberão as moradias. O grupo será formado por representantes da Defensoria Pública, Instituto Estadual do Ambiente (INEA), CDDH e Secretaria de Habitação, entre outros órgãos. “Em Petrópolis este trabalho está caminhando muito bem. Vamos agendar uma nova reunião em dois meses para uma nova avalição dos trabalhos”, explica Júlia Miranda, coordenadora do Núcleo de Terras e Habitação da Defensoria Pública do Rio de Janeiro.

O defensor público Cleber Alves saiu do encontro satisfeito com os resultados. “A Defensoria Pública vem acompanhando esta questão da moradia, promovendo esta interlocução entre as famílias e o poder público, para agilizar as soluções. Esta reunião é o desdobramento de uma audiência pública realizada na Câmara de Vereadores no fim do ano passado. Tivemos hoje aqui um resultado muito positivo, com a formação do grupo de trabalho”, avalia o defensor, lembrando que uma reunião será agendada com lideranças dos movimentos pró-moradia, para que o assunto seja debatido com todos os interessados.

 “Além do grupo de trabalho, vamos criar uma comissão para acompanhar de perto o andamento dos trabalhos. Conseguimos esclarecer dúvidas e recebemos informações sobre o andamento dos trabalhos de todos os envolvidos. O apoio da Defensoria Pública vem nos ajudando muito”, considera a líder do Movimento do Aluguel Social e Moradia, Cláudia Renata de Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta notícia