ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 30 de março de 2017

PROGRAMA MELHOR EM CASA COMEÇA A SER IMPLANTADO EM PETRÓPOLIS

Os petropolitanos impossibilitados de se locomoverem até uma Unidade de Saúde receberão tratamento domiciliar, a partir de abril, com a implantação do Programa Melhor em Casa. Desde a conquista da verba de R$ 156 mil mensais do Governo Federal, a Secretaria de Saúde iniciou a assistência, em um projeto piloto, que conta com 20 pacientes cadastrados. Uma vez por semana, a equipe formada por um médico, um enfermeiro e um técnico de enfermagem presta o atendimento clínico e de reabilitação a esses pacientes em casa.


O projeto está em fase de cadastro junto ao Ministério da Saúde e disponibiliza a Petrópolis mensalmente o recurso para o custeio do programa formado por equipes com 26 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas para as equipes de atenção domiciliar e fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo e assistente social para as de apoio.

O prefeito Bernardo Rossi explica que o programa também evita as internações hospitalares desnecessárias e as filas dos serviços de urgência e emergência.

“Essa é uma conquista muito grande para os petropolitanos, pois o programa facilitará o atendimento não só de pessoas com doenças crônicas ou em situação pós-cirúrgica, como também portadores de deficiência e idosos. A Secretaria de Saúde já iniciou um projeto piloto que contém 20 pessoas cadastradas e assim que o Melhor em Casa estiver operando já vai absorver esses atendimentos e os outros que virão ”, anuncia o prefeito

O Melhor em Casa contará com três Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMADs) e uma Equipe Multiprofissional de Apoio (EMAP) com sedes instaladas nas Unidades Básicas de Saúde: Quitandinha, Itamarati e Itaipava. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explicou que os pontos foram escolhidos devido à uma exigência do Ministério da Saúde.

“As EMADS foram distribuídas entre essas unidades por cobrirem o atendimento médio de 100 mil habitantes, exigência do Ministério da Saúde, e assim conseguiremos assistir a população de todo o município”, revela Silmar Fortes.

A Secretaria de Saúde já formou duas equipes multidisciplinares para iniciar o programa e o Secretário de Saúde, Silmar Fortes, explicou que a terceira está sendo formada com os concursados convocados pela Saúde que trabalharão de segunda a sexta-feira, 8 horas por dia e em regime de plantão nos fins de semana.

“Nós já iremos iniciar as oficinas exigidas pelo Ministério da Saúde, com 40 horas semanais e vamos criar os fluxos de atendimento. A partir deste cronograma iniciaremos as ações com as EMADS já formadas. Os atendimentos e a freqüência serão definidos conforme o estado clínico e avaliação do paciente”, explica Silmar Fortes.

Para participar do Programa Melhor em Casa, o paciente deverá preencher um cadastro com a indicação de um cuidador, que poderá ser ou não um membro da família. Silmar Fortes explicou que haverá treinamentos e oficinas de capacitação para cada acompanhante.

“Precisamos ter garantias que esse paciente será bem assistido em casa. Então será necessário um cuidador para acompanhá-lo, para só assim as visitas dos profissionais do programa sejam autorizadas. O programa diminui a necessidade e a freqüência de internações hospitalares. Esse fato também auxilia na disponibilização de leitos para os usuários que necessitam de internação hospitalar mais urgente”, afirmao secretário.

Petrópolis hoje conta com 1.218 leitos na rede e uma média de 1.600 internações por mês. Nos atendimentos de urgência e emergência, mensalmente as UPAS (Centro e Cascatinha) acumulam mais de 18 mil atendimentos.