ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

segunda-feira, 26 de junho de 2017

JANOT PODE DENUNCIAR TEMER AINDA NESTA SEGUNDA

Após investigações da Polícia Federal (PF) apontarem que há "evidências" da prática de corrupção passiva do presidente Michel Temer, no caso que envolve o pagamento de propina por parte da JBS, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tem até esta terça (27) para denunciá-lo no Supremo Tribunal Federal (STF).

No entanto, segundo informações de bastidores, é possível que a peça seja protocolada já nesta segunda-feira (26).
Entre o material usado contra Temer está uma conversa gravada por Joesley Batista, um dos sócios da JBS.
No áudio, Temer menciona o nome de Rocha Loures, seu então assessor e também alvo do inquérito, como "homem de confiança" para tratar com Batista, que reclama de problemas enfrentados pela empresa no governo.
A propina paga pela JBS teria como objetivo, de acordo com informações do portal G1, facilitar a vida da gigante do setor de alimentos nas questões envolvendo o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).
Temer alega que "simplesmente ouviu" reclamações do empresário. "Não há crime em ouvir reclamações e me livrar do interlocutor indicando outra pessoa para ouvir suas lamúrias. E confesso que o ouvi como ouço empresários, políticos, trabalhadores, intelectuais e pessoas de diversos setores da sociedade no Palácio do Planalto, no Palácio do Jaburu, no Palácio da Alvorada e em São Paulo", disse o presidente.
Já o relatório da PF, divulgado pelo STF no último dia 20, conclui que "o silêncio do Mandatário Maior da Nação e de seu ex-assessor especial resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado neste autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva".
Nesse domingo, o presidente se reuniu com aliados no Alvorada. Além de abreviar prazos na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, o Palácio do Planalto pretende garantir a nomeação de um relator próximo à gestão e um placar folgado na comissão para recusar a denúncia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta notícia