PESQUISA POR MATÉRIAS

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

terça-feira, 27 de junho de 2017

MINISTÉRIO AUTORIZA NOVO CHAMAMENTO PARA DOIS EMPREENDIMENTOS DO MINHA CASA MINHA CASA NA CIDADE

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, autorizou que a prefeitura faça um novo chamamento público para contratar as empresas que serão responsáveis pela construção de unidades habitacionais pelo Minha Casa Minha Vida no Caititu e na Estrada da Saudade. Com isso, os dois empreendimentos, que atualmente estão parados por falta de liberação do governo federal, poderão ser destravados e sair do papel. A definição foi dada em reunião com o prefeito Bernardo Rossi, nesta terça-feira (27) em Brasília.

Os projetos serão redimensionados para se adequar às novas regras estabelecidas pelo governo federal para o programa. As alterações serão apresentadas no início do segundo semestre ao Ministério das Cidades. O empreendimento do Caititu terá 500 unidades – máximo permitido pela nova fase do programa federal - enquanto a da Estrada da Saudade terá 188. Todas elas serão destinadas para família de mais baixa renda mensal (até R$ 1,8 mil) dentro da faixa 1.

 “Essa é excelente notícia para os petropolitanos que esperam casas há décadas e nunca viram uma política habitacional sendo implantada com seriedade no nosso município. Reduzir o déficit de moradias é uma questão prioritária no nosso governo e não temos medido esforços para conseguir tirar do papel os projetos que estão parados há tanto tempo”, comemorou o prefeito Bernardo Rossi.

Nos dois casos, houve definição das empresas que seriam responsáveis pela obra, mas o governo federal não assinou os contratos. No Caititu, a prefeitura desapropriou o terreno em 2013 por R$ 2,2 milhões, mesmo ano em que a Construtora M. Rocha venceu o chamamento, porém o contrato com a empresa nunca chegou a ser assinado. Já na Estrada da Saudade, a desapropriação foi feita por R$ 1,215 milhão, mas a Britper Construções não foi autorizada a começar a obra.

“O ministro deu algumas explicações que deixou o processo mais claro para a prefeitura. Entendemos melhor as adequações que precisam ser feitas nos projetos e temos perspectivas que a construção das casas possa começar mais rápida”, disse o secretário de Obras e Habitação, Ronaldo Medeiros.
Também participaram da reunião o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio; o assessor de Gestão de Projetos e Convênios da Coordenadoria de Planejamento e Gestão Estratégica, Felippe Rocha, e o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor. ​