ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

segunda-feira, 19 de junho de 2017

PLANO DE COMBATE AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS SERÁ LANÇADO NESTA TERÇA

A prefeitura lança nesta terça-feira (20) o primeiro plano de contingência da cidade para o Inverno que vai organizar o combate aos incêndios florestais que atingem Petrópolis no período de estiagem. A apresentação acontece na Casa dos Conselhos, na Avenida Koeler, 260, às 14h. O Plano Inverno foi organizado pela Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias com o apoio do Ministério Público Federal (MPF), Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Exército, Aeronáutica, Cruz Vermelha, SAMU, órgãos ambientais, sociedade civil e todos os setores da Prefeitura. Em 2014, aconteceram 256 ocorrências de incêndio em florestas em Petrópolis. Em 2015, foram 182 casos e no ano passado 150. Nos três primeiros meses de 2017 – antes mesmo do início do período de estiagem - os Bombeiros registraram 43 princípios de queimadas.



O trabalho foi realizado por sete grupos setoriais, divididos de acordo com cada atribuição dos que participaram da elaboração do Plano Inverno. Foram 13 reuniões, com a participação de 208 pessoas, que representaram 35 órgãos diferentes. O secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, lembrou do incêndio que está acontecendo em Pedrógão Grande, em Portugal, e que já matou 60 pessoas.

“As mudanças climáticas estão trazendo problemas em todo o planeta. Pode parecer distante, mas não podemos deixar acontecer em Petrópolis o que está acontecendo em Portugal, por exemplo. Os incêndios florestais são desastres que também matam e, portanto, temos que estar preparados com antecipação”, alerta o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, Paulo Renato Vaz.

As queimadas provocam o empobrecimento do solo e o desequilíbrio no ecossistema. A destruição de áreas verdes também compromete nascentes, importantes para o abastecimento de água em toda cidade.

“Os incêndios florestais fragilizam o solo, potencializando os deslizamentos de terra durante as chuvas de verão. A destruição da mata compromete as nascentes de água, justamente no período de estiagem, quando a incidência de chuva é menor e com isso pode faltar água”, explica Paulo Renato.

O secretário destaca ainda que praticar queimada é crime. “Com o apoio da Polícia Militar, vamos coibir essa prática, assim como também dos grupos de baloeiros”, disse Paulo Renato.

Entre junho e setembro do ano passado, o Linha Verde registrou 75 denúncias na cidade envolvendo grupos de baloeiros, locais de comercialização, fabricação ou soltura de balões. O setor de inteligência da Polícia Militar já está preparando ações para prender esses grupos.
“Estamos trabalhando em conjunto para que cada órgão assuma as suas responsabilidades em um momento de crise. Assim como acontece em relação às chuvas de verão, também durante o período de estiagem é fundamental que a cidade tenha uma logística e um plano de ação definidos. Esse trabalho de prevenção é fundamental para Petrópolis”, afirma Paulo Renato Vaz.