PESQUISA POR MATÉRIAS

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 6 de julho de 2017

ASSISTÊNCIA SOCIAL RETIRA MORADORES DAS RUAS EM NOITES FRIAS

Com temperaturas que estão chegando a 3ºC, a  Secretaria de Assistência Social está ampliando as abordagens noturnas durante o inverno oferecendo  abrigo às pessoas em situação de rua na temporada mais fria do ano. Na segunda-feira (03.07) a Secretaria conseguiu acolher sete das pessoas, das 15 convidadas para pernoitar no Núcleo de Integração Social (NIS). As outras oito recusaram dormir no abrigo. Mas nesta terça-feira (04.07) com termômetros chegando a marcar 3ºC em grande parte do município, a adesão foi maior, com 15 pessoas abrigadas. A abordagem está sendo feitas todas as noites.

 Além de disponibilizar três assistentes sociais para as abordagens noturnas, de 20 às 22h diariamente, a Secretaria de Assistência também está com uma linha direta para que a população ligue caso encontre morador em situação de rua desejando abrigo, o telefone é 2246-8741 com funcionamento 24h.

 A secretária de Assistência Social, Denise Quintella, acompanhou a ação noturna e reafirmou o compromisso do governo em proporcionar uma assistência digna à população de rua. Assim que chegam ao NIS, os moradores de rua recebem uma refeição, cama arrumada e roupas limpas.
“No NIS eles ficam até pela manhã, tomam o café da manhã e depois são encaminhados para o Centro POP onde realizam as atividades do dia, podem tomar banho, trocar de roupa, pegam o ticket de refeição para almoçar do restaurante popular e podem lanchar. O que percebemos é que no primeiro dia houve pouca adesão, mas agora temos até o caso de busca espontânea. Abrimos leitos extras, mas temos sempre uma média de leitos fixos vagos, já que a nossa população é muito flutuante”, explica Denise Quintella.

 Vindo pela demanda espontânea, o senhor J.S.G. de 60 anos, buscou o abrigo para não só se proteger do frio, mas também ter mais segurança. “Eu dormia na rodoviária, mas resolvi sair por não achar muito seguro. Aqui eu tenho alimentação, cama quentinha e roupas novas. É muito melhor estar aqui do que estar nas ruas”, afirma.

Como durante o inverno o risco do agravamento de doenças respiratórias aumenta, durante a abordagem, uma viatura do SAMU teve que ser acionada para que uma pessoa fosse socorrida devido a uma crise de asma. A superintendente de Atenção à Saúde, Fabíola Heck, explica que o frio pode até levar a óbito devido à diminuição das funções vitais por conta da queda da temperatura.

 “Algumas dessas pessoas são assistidas pelo Consultório na Rua por terem assiduidade no Centro POP que nos encaminha os atendimentos. Todos estão vacinados e com acompanhamento clínico, mas há àqueles que não querem atendimento e esses são os casos que nos preocupam. O frio pode agravar muitas patologias, grande parte respiratória, mas a pessoa também pode morrer de frio, ainda mais em temperaturas tão baixas como as que estamos presenciando”, disse Fabíola Heck.

 A Secretaria de Assistência espera reaproximar os serviços do Centro POP e do NIS às pessoas que se recusam a receber o acolhimento proporcionado pela equipe de abordagem.  “Vale ressaltar que essas pessoas são convidadas a irem para o abrigo. Nós não podemos obrigá-las. Mas esperamos que àqueles que estão afastados possam voltar a frequentar o Centro POP para as atividades diárias e futuramente o NIS para que se enquadrem no processo de ressocialização junto à comunidade”, afirma Denise Quintella.  ​