terça-feira, 4 de julho de 2017

FRIO INTENSIFICA TRABALHO DE ACOLHIMENTO DE MORADORES DE RUA

A Secretaria de Assistência Social iniciou na segunda-feira (03) um plano emergencial de inverno, cujo objetivo é oferecer abrigo noturno às pessoas em situação de rua durante a estação mais fria do ano. As abordagens ocorrerão diariamente, de segunda a segunda, de 20 às 22h oferecendo pernoites no Núcleo de Integração Social (NIS), além das refeições que poderão ser realizadas no Centro de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centro Pop) e Restaurante Popular. A temperatura no município chegou a 6ºc na última madrugada e, por conta disso, além da alimentação, também serão ofertados novos agasalhos e cobertores.

“A equipe realiza busca ativa nas ruas todos os dias, abordando as pessoas que estão na rua, ofertando encaminhamento para o Centro Pop para que eles possam tomar banho, receber roupas novas, participar das atividades diárias, tomar o café da manhã e o lanche da tarde e receber o ticket de refeição para o almoço no restaurante popular. Pelo novo sistema eles poderão ser encaminhados ao NIS para passarem a noite aquecida durante o inverno”, explica a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

O Centro de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centro Pop) atende em média 100 pessoas durante o inverno, sendo 90% homens na faixa etária de 30 a 50 anos. Já o Núcleo de Integração Social (NIS) são 65 usuários ativos que estão passando por um processo de ressocialização, onde recebem tratamento médico e psicológico. Foram abertos 10 leitos extras para as pernoites.

Pelo novo sistema, a Secretaria de Assistência espera reaproximar os serviços às pessoas que se recusam a receber o acolhimento proporcionado pela equipe de abordagem.

 “Vale ressaltar que essas pessoas são convidadas a irem para o abrigo. Nós não podemos obrigá-las, até porque nós temos regras de convivência e de permanência para os espaços. Traçamos essa operação de inverno para proporcionar um ambiente seguro, aquecido e com dignidade a essa população”, afirma Denise Quintella que avalia que há resistência quanto à adesão, mas que a equipe estará sempre a postos para acolher.

“Muitos não querem deixar as ruas, mas nós sempre enfatizamos sobre a proposta de auxiliá-los nesse processo de reorganizar a vida.e o retorno à convivência social. Então, precisamos voltar todos os dias e oferecer os serviços já que eles podem mudar de ideia e desejar aderir aos serviços”, completa Denise Quintella. ​

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta notícia

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI