ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

sexta-feira, 21 de julho de 2017

ÔNIBUS LILÁS DO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ATENDIMENTO À MULHER SERÁ RELANÇADO


Buscando medidas efetivas de enfrentamento à violência contra mulher, a Prefeitura irá retomar as atividades do Ônibus Lilás, utilizado pela equipe do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM). O veículo que era usado pela gestão anterior apenas para eventos, passará a levar assistência jurídica, social e psicológica às mulheres de comunidades afastadas de forma permanente e continuada. Petrópolis é a segunda cidade do país a contar com o equipamento, adquirido por emenda parlamentar em junho de 2016. Uma grande ação social marcará a retomada do projeto no dia 11 de agosto, na Praça Dom Pedro.

A proteção e a garantia dos direitos da mulher é uma prioridade do governo. Em abril, o prefeito Bernardo Rossi entregou as chaves de um veículo utilitário de sete lugares para ser usado pelo Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CRAM), como ferramenta de auxílio a mulheres em situação de risco.O automóvel foi adquirido por R$ 74.750,00, com recurso proveniente de um convênio com o Ministério da Justiça, feito por intermédio da Secretaria de Políticas para as Mulheres, sem contrapartida do município.

A coordenadora do Gabinete de Cidadania, Ana Maria Rattes explica que o ônibus itinerante tem duas salas para atendimento, banheiro e cozinha. Além disso, um toldo, que pode abrigar até 24 cadeiras, cria uma sala de espera no local onde o atendimento for realizado.

“O ônibus estava parado e antes só funcionava para ações especiais. O ônibus é composto por dois gabinetes e ele pode funcionar como uma unidade volante levando os atendimentos do CRAM às mulheres que moram em áreas afastadas, inicialmente, mas depois pretendemos levar para todos os bairros. Faremos um calendário para o próximo semestre com os itinerários por onde o ônibus irá passar até para fazermos palestras e ações de conscientização”, anuncia Ana Maria Rattes, coordenadora do Gabinete de Cidadania.

O Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CRAM) realizou apenas neste mês 41 novos atendimentos, a média mensal é de 20. A maior parte das mulheres que procura o CRAM relata que são vitimas de abusos sexuais, psicológicos e violência física. O espaço oferece apoio jurídico e psicológico às mulheres.