ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 27 de julho de 2017

PETRÓPOLIS TERÁ FESTIVAL DE BANDAS ESCOLARES

Uma das manifestações culturais mais latentes em Petrópolis, a música será o foco de uma competição que promete descobrir novos talentos na Cidade Imperial. É o Festival de Bandas Escolares que acontece em outubro no Theatro D. Pedro. Realizado pelo Instituto Municipal de Cultura e Esportes, o concurso vai selecionar a melhor banda entre 12 escolas – da rede particular e pública. A vencedora vai ganhar R$ 1.000 e a gravação de um single e videoclipe.

 “Nossa intenção é criar oportunidade para despertar dentro das escolas novos talentos musicais em uma cidade tão versátil nesse segmento. Quantos grupos e músicos renomados na cena artística hoje iniciaram sua trajetória em bandas escolares. Queremos promover essa competição justamente com o intuito de descobrir esses talentos muitas vezes escondidos nas escolas ou não tão valorizados”, explica o diretor-presidente do IMCE, Leonardo Randolfo.

Poderão participar bandas de qualquer gênero musical das 12 escolas pré-selecionadas pela direção do festival, que será coordenado pelo músico Gargamel - com 25 anos de carreira consolidada no cenário artístico. Cada escola vai escolher uma banda representante da instituição nas seletivas que serão realizadas em setembro, dentro das unidades de ensino. As selecionadas em cada escola vão participar da competição final no festival, que acontece em outubro.

    “A ideia é fomentar a música dentro das escolas e criar referências para esse segmento, do aluno que toca bateria, algum instrumento ou que canta. É como se fosse o Jeups da música, uma competição realizada todo ano, dentro do calendário, para fomentar e destacar os melhores na música”, explica o diretor artístico do projeto, o músico Gargamel.

 “Além de descobrir e despertar novos talentos da música, queremos mostrar que fazer cultura também é legal. Geralmente os mais populares das turmas são aqueles que de destacam no esporte. Queremos exaltar a música e  a cultura como algo também popular e bacana”, completa o Superintendente de Cultura do IMCE, Marcelo Vieira.