segunda-feira, 12 de março de 2018

AJUDA PARA RECUPERAÇÃO DE ÁREAS ATINGIDAS PELAS CHUVAS CHEGA EM 10 DIAS

A ajuda a Petrópolis na recomposição as áreas atingidas pelas chuvas chega em 10 dias. O prazo foi anunciado pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho que, ao lado do ministro dos Esportes, Leonardo Picciani e do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, vistoriou com o prefeito Bernardo Rossi, o Caxambu e a Posse, neste sábado (10). Na visita oficial os ministros conversaram com moradores, com produtores rurais e avaliaram os estragos causados pelas chuvas. Desde sábado equipes da prefeitura e da Integração Nacional fazem o levantamento dos prejuízos. O relatório final será apresentado nesta segunda-feira (12).

Helder Barbalho anunciou que a ajuda para restabelecer as duas áreas – de produção rural – em pouco tempo é um recorde. O prefeito Bernardo Rossi agradeceu o empenho do ministério que desde a semana passada disponibilizou técnicos que estão ajudando a compor os relatórios que embasam a ajuda federal à cidade.
“Estamos aguardando para esta segunda-feira (12.03) a finalização dos estudos que estão sendo feitos pela prefeitura para levantamento dos prejuízos. A partir daí, em sete dias, os recursos federais serão encaminhados para a cidade”, anunciou Helder Barbalho, destacando que como o município já vem atuando desde o primeiro momento com maquinários, equipes e recursos próprios, existe ainda a possibilidade de liberação de um valor complementar.
No Caxambu, além da recomposição da área rural – com prejuízos dos produtores avaliados em R$ 5 milhões – o governo federal, representado pelo ministro Leonardo Picciani deu especial atenção ao Centro de Iniciação Esportiva (CEI), o primeiro do estado e o quarto do país, equipamento que vai ser usado nas áreas de esporte e artes por 500 jovens.
“Importante neste momento, caminhar também com a área social e concluir a obra. O esporte, a integração social, é capaz de mudar a realidade das comunidades e assim será aqui no Caxambu”, garantiu Leonardo Picciani. O CEI vai ser inaugurado dia 29 de março.
“Os ministros fizeram questão não só de sobrevoar, mas de percorrer as áreas atingidas, conversar com os moradores, apresentar apoio, o que mostra mais uma vez a importância de Petrópolis. Nossas equipes estão atuando desde o primeiro momento para restabelecer os acessos e minimizar os impactos para os moradores. Técnicos também estão em todos os locais atingidos, levantando todas as informações sobre as intervenções necessárias. Este trabalho está sendo acompanhado por técnicos da Secretaria Nacional de Defesa Civil. A liberação rápida de recursos federais irá agilizar a recuperação das áreas atingidas”, pontua o prefeito Bernardo Rossi.
A comitiva foi recebida com entusiasmo pelos produtores rurais no Caxambu. “No dia seguinte e em toda a semana o prefeito esteve aqui. A presença dos ministros mostra que não vamos ficar desamparados e que o nosso bairro vai se recuperar", afirmou Joaquim Sérgio Lage, vice-presidente da Associação de Produtores Rurais do Caxambu.
Morador do Caxambu há 60 anos, José Gonçalves da Costa fez questão de apertar a mão do ministro Helder Barbalho e relatar o desastre na região. “Em toda minha vida nunca vi uma chuva tão forte quando esta”, afirmou frisando o apoio da prefeitura. “Ministro, o pessoal da prefeitura esteve desde o primeiro momento. Não mediram esforços, não”, acrescentou.
Para o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, a meta é dar uma resposta rápida à cidade. “Recebi do prefeito muitas imagens, inclusive aéreas e fiquei sensibilizado. Petrópolis é uma cidade importante para o país e fiz questão de estar presente para ajudar”, destacou.
Também esteve acompanhando a visita o bispo da Diocese de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, que reafirmou o compromisso da igreja com as famílias afetadas pela chuva."Esse é o momento em precisamos dar total apoio às famílias. Estamos colocando todas as nossas paróquias à disposição, dando o suporte de alimentação às pessoas que mais precisam. Importante, nesta hora, fortalecer os laços com a comunidade, proporcionando o ambiente de família no momento de dor", disse Dom Gregório.
O prefeito Bernardo Rossi esteve acompanhado pelo vice-prefeito, Baninho; todos os secretários municipais; o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor e vereadores.
Na sexta-feira (09.03) foi publicado no Diário Oficial da União a portaria da Secretaria Nacional de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional ratificando o estado de situação de emergência decretado pela prefeitura nos bairros Caxambu e Bela Vista. O decreto desburocratiza a liberação de recursos federais e agiliza as ações da prefeitura para recuperação das áreas atingidas. A Posse, atingida por chuva na quinta-feira (08.03) também será incluída no decreto e na ação federal para liberação de recursos para recuperação.

Produtores rurais relatam prejuízos aos ministros e presidente da Câmara federal
Prejuízo de produção rural no Caxambu pode chegar aos R$ 5 milhões
Um levantamento preliminar feito pelo Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico constatou que 339 pessoas que trabalham na produção rural foram atingidas diretamente pela forte chuva que causou estragos na região do Caxambu. O prejuízo estimado dos produtores da região, com relação ao que foi perdido da produção já chega aos R$ 3 milhões. Somando-se as perdas materiais, como carros, motos e máquinas para o plantio, o prejuízo pode chegar aos R$ 5 milhões.
Na visita dos ministros Helder Barbalho, da Integração Nacional e Leonardo Picciani, do Esporte, acompanhados do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, os produtores e moradores do Caxambu relataram os danos causados pelas chuvas.  O prefeito Bernardo Rossi recebeu a comitiva federal e percorreu as áreas atingidas pelas chuvas.
O resultado de prejuízos na agricultura do Caxambu, onde 150 famílias vivem da produção rural, ainda é preliminar. A equipe do Departamento de Agricultura continua visitando a região, já que a estimativa é de que 30% dos produtores ainda não foram cadastrados. Os dados, consolidados, vão permitir apresentação de projetos para a recomposição, além das ruas e acessos, das plantações.
O produtor rural André José Ribeiro da Costa perdeu a casa, uma caminhonete e a produção que iria vender na feira.
"A água derrubou paredes da minha casa, alagou tudo. A água veio como uma onda forte levando tudo. Perdemos a casa, uma caminhonete que levava a produção e caixas com agrião. Agora vamos arrumar um jeito de morar em outra casa e recomeçar a produção", contou.
Morador do Caxambu há 60 anos, José Gonçalves da Costa disse nunca ter visto uma chuva tão forte quando a do último dia 3 de março. Ele também perdeu a produção, mas não consegue estimar as perdas. Para o agricultor, a resposta da prefeitura foi rápida."Disso ninguém pode reclamar. O governo está aqui todo dia dando o apoio que a gente precisa. A prefeitura não mediu esforços para nos ajudar", afirmou.

Defesa Civil registrou 201 ocorrências por conta das chuvas
Petrópolis registrou 201 ocorrências desde sábado passado, sendo 101 deslizamentos de terra. Foi necessário interditar 28 casas até o momento nas áreas mais atingidas: Caxambu, Bela Vista e a Posse. São 60 famílias desalojadas, totalizando 198 pessoas que tiveram que deixar as suas casas em todo o município. São duas mortes. Foram removidas mais de 1,3 mil toneladas de lama nas áreas atingidas pelas chuvas. Em toda a cidade, mais de 150 homens da prefeitura atuam no restante da limpeza e desobstrução de vias. Apenas a Estrada União e Indústria, na Jacuba, e a Rua Nossa Senhora de Fátima, na Posse, permanecem interditas.
 Na Posse, a Defesa Civil registrou 27 ocorrências, sendo 14 deslizamentos de terra. Em campo, no entanto, os técnicos fizeram 80 atendimentos, entre os quais vistorias preventivas. Onze casas precisaram ser interditadas na região. A Rua Nossa Senhora de Fátima também está interditada por causa do risco de novos deslizamentos. Até o momento a Secretaria de Assistência Social (SAS) cadastrou 34 famílias que tiveram de deixar as suas casas. Por orientação da SAS, as pessoas estão sendo deslocadas para casas de parentes ou amigos.
No Caxambu, foram 38 ocorrências, sendo 22 deslizamentos de terra e 13 imóveis interditados. O trabalho da prefeitura no local se concentra nas regiões de Mata Banco e Três Pedras, mais afetadas pelas chuvas. Ao todo, são 80 homens que seguem trabalhando para a limpeza e desobstrução de vias em todo o bairro. Na região são 16 famílias desalojadas, em um total de 51 pessoas.
 No Bela Vista foram 21 ocorrências, sendo um rolamento de bloco rochoso no sábado (03.03) bloqueando a passagem de veículos na Rua Timóteo Caldara. Doze homens, duas retroescavadeiras, um caminhão munck e três caminhões foram utilizados para retirada dos destroços da pedra, que foi implodida no domingo, e remoção da sujeira no local. Foram interditadas três casas no local. No bairro são oito famílias desalojadas, em um total de 32 pessoas.


ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI