quinta-feira, 17 de maio de 2018

DOENÇAS PERIODONTAIS TÊM SINTOMAS AGRAVADOS PELA MENOPAUSA

As alterações hormonais causadas pela menopausa, que é definida pelo fim da menstruação, afetam a saúde da mulher de modo geral, inclusive a bucal. Para o cirurgião dentista, Márcio Marques, o Mês da Mulher, celebrado em maio, é uma oportunidade não só de homenagens, mas também de esclarecimentos, que podem resultar em melhorias na qualidade de vida.

Segundo o especialista, que é diretor do Instituto Rio, a queda na produção de colágeno, que é a base dos tecidos de sustentação, significa complicações mais severas quando as doenças periodontais se instalam.
“As doenças periodontais, como a gengivite e a periodontite, afetam as áreas responsáveis por sustentar os dentes, ou seja, osso, ligamento, cemento e gengiva. Essas áreas têm o colágeno como base, portanto, a deficiência na produção dessa proteína pode refletir na saúde bucal das mulheres que estão no período da menopausa, causando maior fragilidade”, explica Márcio Marques.
Segundo a Sociedade Norte-Americana de Menopausa, na qual se baseia a Associação Brasileira do Climatério (Sobrac), a média de idade em que ocorre a menopausa é por volta dos 51 anos, mas a mudança pode acontecer entre os 40 e os 58 anos.
As pacientes que chegam a desenvolver a gengivite ou a periodontite neste período da vida tendem a apresentar sintomas mais graves e ter uma recuperação mais lenta que a de pacientes comuns. De acordo com o dentista, nestes casos, a evolução da doença tende a ser mais rápida.
“O tratamento é um só, mas é claro que o dentista terá um olhar diferenciado para essa paciente. O objetivo é que a doença não evolua até chegar em sua forma mais grave, que é a perda dos dentes”, ressalta Márcio Marques, acrescentando que o intervalo de acompanhamento no consultório para as mulheres no período da menopausa deve ser em média a cada quatro ou até a cada três meses.
O especialista lembra que a reposição hormonal, quando adotada, tende a melhorar todos os sintomas e desconfortos, e as questões bucais não ficam de fora. Ainda assim, a idade continuará sendo um fator que interfere e compromete os processos de recuperação do organismo. 

O que são a gengivite e a periodontite?
A doença periodontal mais amena é a gengivite, que se caracteriza pela inflamação do tecido devido à presença de placa bacteriana acumulada nos dentes e na gengiva. A recuperação é feita basicamente através de higiene adequada. No caso das mulheres em período de menopausa, o processo de recuperação tende a ser mais lento e o problema pode evoluir para a periodontite.
A periodontite é um estágio mais grave da doença, que afeta o ligamento periodontal e o osso, podendo causar a perda dos dentes. Quando o dente já está mole e há perda ligamentar, o problema pode ser irreversível.
“O tratamento visa conter a evolução da doença. Alcançado este objetivo, cabe ao dentista avaliar o próximo passo para reparar o dano causado”, pontua Márcio Marques.
A clínica multidisciplinar Instituto Rio fica na Rua Marechal Deodoro, 119, salas 12 a 14, no Centro. O IR também tem sede no município de Cabo Frio, na Av. Teixeira e Souza, nº 2.277, sobreloja, no Braga. Outras informações pelo telefone: (24) 2231-0305.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI