segunda-feira, 11 de junho de 2018

APÓS NOTÍCIA-CRIME, INSTITUITO EMBELLEZE SE COMPROMETE A RESSARCIR ALUNOS

O Procon Petrópolis conquistou mais uma vitória para o consumidor petropolitano: alunos que ficaram sem respostas após a empresa Embelleze fechar às portas na cidade sem quaisquer justificativa, conseguiram, enfim, ter seu dinheiro devolvido e/ou o certificado do módulo entregue. A solução foi proposta pela matriz de São Paulo, após repercussão da notícia-crime apresentada pelo órgão de defesa do consumidor à Polícia Civil. Dez, das 13 queixas ao Procon já foram resolvidas.

As demandas em torno do problema começaram a chegar no Procon no início de maio, logo após a empresa, que estava há anos em Petrópolis, fechar as portas. À ocasião, o órgão tentou contatar os responsáveis pela franquia no município, mas não houve sucesso na tentativa de resolver às demandas. A equipe também tentou contato com a matriz, que chegou até a atender as ligações, mas depois do tempo de resposta prometido, não realizou qualquer novo contato.
“Foi aí que precisamos tomar uma atitude mais drástica, uma vez que todas as nossas alternativas, enquanto órgão de defesa do consumidor, já haviam se esgotado. Nossa denuncia, se baseou no artigo 171 do Código Penal, em cima dos empresários responsáveis pela franquia, por estelionato. No documento entregue à polícia, esclarecemos todas as questões nos levaram até ali”, explica o coordenador do órgão de defesa do consumidor, Bernardo Sabrá.
 A ação do Procon surtiu efeito, com a matriz contatando e propondo que o dinheiro fosse devolvido aos clientes ou o certificado do módulo entregue. São pessoas como o adolescente Leandro Corrêa, de 17 anos, que fazia o curso de barbeiro que, com o investimento devolvido terá a oportunidade de se matricular em outro curso profissional para se capacitar para o mercado de trabalho. Sua mãe, Dalva de Jesus Corrêa, explica que não esperava uma solução tão rápida.
 “Já havia realizado o pagamento de sete parcelas do curso e quando eles fecharam as portas fiquei desesperada, com medo de ter perdido o dinheiro e que meu filho não tivesse a formação prometida. As aulas já estavam cada vez menos frequentes. Ele chegava no curso e não tinha aula, o professor faltava, as aulas acabavam cedo. Mas, pelo menos agora teremos a oportunidade de investir o dinheiro em outra coisa. Foi a primeira vez que precisei do órgão e fui prontamente atendida. Vou indicar para todo mundo que tiver sido lesado”, conta Dalva.
 “Esse é um exemplo da atuação de um órgão que realmente busca dar a solução para o consumidor final. Não é a primeira vez que isso ocorre, de o órgão dar a resolução necessário a casos em que o consumidor havia sido lesado. O Procon definitivamente deixou de ser só um órgão que encaminha as pessoas à Justiça e agora consegue sanar de uma vez por todas as demandas da população no que se refere as relações de consumo”, destaca o prefeito, Bernardo Rossi.
O gestor de operações da matriz da Embelleze, André Ferreiro, explica que as conciliações foram feitas para minimizar o impacto negativo em torno da marca, uma vez que embora tenha sido uma filial com administração independente que tenha deixado os alunos sem respostas, a matriz, responsável pela Embelleze, quer preservar os alunos que acreditaram no nome e na história por ela representada. “Estamos fazendo o máximo possível para resolver a questão”, explica.
Quem quiser denunciar pode contatar o Procon pela página do órgão no Facebook, o Procon Petrópolis; pelo site www.petropolis.rj.gov.br/procon

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI