quinta-feira, 9 de agosto de 2018

PMP MANIFESTA APOIO À CARTA DE REPÚDIO À CONCER

Um ato de repúdio à Concer, a concessionária responsável pela administração da BR-040, foi realizado terça-feira (07.08) à noite no CIT – Centro de Informação Turística do Quitandinha. Durante o evento, que reuniu mais de 100 pessoas, o prefeito Bernardo Rossi sinalizou o apoio do poder público ao MercoSerra – agência de fomento que reúne Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo - pela elaboração de uma carta de repúdio direcionada à concessionária. O documento foi entregue, na última semana, na ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, ao Tribunal de Contas da União e à Secretaria Nacional do Programa de Parcerias e Investimentos.

“A Concer sempre lesou os petropolitanos. Essa luta é antiga e é importante que os empresários e o MercoSerra entrem nessa briga em prol dos petropolitanos. A prefeitura ingressou na justiça com ação para a suspensão do pedágio para os petropolitanos e agora, com o auxilio dos empresários, tenho certeza que teremos mais força para reivindicar nossos direitos”, completou Bernardo Rossi.
A Carta de Repúdio foi assinada por mais de 30 representantes de instituições e relata a situação caótica e insustentável em que se encontra a BR-040, no trecho que liga Rio de Janeiro à Juiz de Fora – principalmente na subida da serra de Petrópolis, principal eixo de mobilidade urbana que faz a ligação para o Rio de Janeiro. A carta solicita celeridade no processo que determina a suspensão do direito de concessão da empresa e o avanço no processo da contratação de uma nova empresa para administrar a via, além da retomada das obras da Nova Subida da Serra.
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini, que também é integrante do MercoSerra e presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis (Sicomércio), lembrou que o pedágio cobrado é um dos mais do país. “Cobrança absurda e a estrada em péssimas condições, sem segurança. Pedimos a caducidade do contrato com a concessionária e a suspensão da cobrança do pedágio. O prejuízo para Petrópolis é grande, principalmente para os polos de moda que perdem compradores por conta da precariedade da subida da serra”, disse.
Jorge Lisboa, da Associação Brasileira dos Caminhoneiros, disse que toda a classe apoia o movimento de repúdio. “O pedágio caro e as péssimas condições da estrada ocasionam prejuízos incalculáveis para os caminhoneiros. O preço do pneu de um carro pode ser de R$ 300 e o pneu de um caminhão ultrapassa R$ 1 mil reais. E por causa da estrada, o que mais vemos são caminhoneiros precisando trocar pneus e enviar os caminhões para a oficina. Isso não é justo. Estamos pedindo aos caminhoneiros que assinem essa carta e faremos o possível para auxiliar o ato do MercoSerra”.
Também participaram do evento o vice-prefeito Baninho, o presidente da CPTrans, Jairo da Cunha Pereira, o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio e o vereador Antonio Britto.
PMP apresenta projeto para reforma dos CITs – Os cinco Centros de Informação Turística de Petrópolis poderão ser reformados em 2019, através de uma emenda parlamentar. O assunto também foi abordado durante o ato de repúdio. Na ocasião, o senador Eduardo Lopes, solicitou ao município um projeto de recuperação dos CITs. Só no ano passado os CITs no Quitandinha, Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, Bingen e Itaipava  atenderam 35.441 mil turistas, entre eles 3.201mil estrangeiros de países como Argentina, França, Inglaterra, Portugal, entre outros. “Os CITs são espaços importantes para o recebimento do turista na nossa cidade. Além do acolhimento, os visitantes conseguem obter todas as informações sobre os pontos turísticos e históricos de Petrópolis. A emenda será importante principalmente para equipar os CITs”, explicou Marcelo Florêncio, presidente do COMTUR – Conselho Municipal de Turismo.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI